Tecnologia do Blogger.

Área 42: Coca-Cola corrói prego? E ossos?

16/03/12


O que acontece quando mergulhamos pregos e um osso de galinha no refrigerante?



Começa agora mais uma experiência do Área 42. Nesta semana, vamos colocar à prova um dos mitos envolvendo a Coca-Cola, o qual afirma que o refrigerante é capaz de dissolver um prego em quatro dias. Aproveitamos a ocasião para fazer também a experiência do osso de galinha embebido no refrigerante. O que será que acontece? A resposta você confere agora.


Pré-requisitos


  • Pregos comuns;
  • Pregos galvanizados;
  • Osso de galinha (pode ser obtido de uma coxa com sobrecoxa de frango);
  • Coca-Cola (1 litro deve dar conta do recado);
  • Potes com tampa para comportar as misturas;
  • Luvas (talvez você queira usar para pegar o osso após o experimento);
  • Martelo e um pedaço de madeira (se você quiser saciar a sua curiosidade em relação à condição dos pregos).

A experiência


Colocamos três pregos comuns em um pote, despejamos cerca de 250 mL de Coca-Cola e fechamos o compartimento, deixando apenas uma pequena fresta para o gás escapar. Fizemos o mesmo com três pregos galvanizados e também com um osso de galinha, obtido de uma coxa com sobrecoxa de frango.


O mito afirma que o prego se dissolve em quatro dias. Então, deixamos o pote com a mistura guardado e o conferimos seis dias depois, para ter certeza absoluta do resultado da experiência. Logo ao tirarmos a Coca-Cola do pote, percebemos que os pregos não foram dissolvidos.
O que percebemos é que tanto o comum quanto o galvanizado ficaram mais escuros. Os pregos comuns ficaram bastante enferrujados e ásperos, enquanto os galvanizados enferrujaram apenas um pouco, mas também ficaram ásperos.
Ambos os tipos aparentaram estar rígidos. Decidimos testar a resistência, pregando os dois em um pedaço de madeira. Tudo aconteceu normalmente, com ambos os pregos fincando na madeira sem maiores dificuldades.


Em relação ao osso de galinha, nós o deixamos mergulhado no refrigerante durante um dia (os mitos dão conta de que poucas horas são suficientes para ocasionar os danos). No nosso caso, apenas percebemos uma coloração escura. O osso se manteve rígido e não apresentou danos maiores.

O que acontece


Resumidamente, isso acontece pela acidez da bebida. De acordo com a própria Coca-Cola, todo refrigerante contém uma pequena quantidade de ácido de grau alimentar (os mais usados são o ácido cítrico e o ácido fosfórico), assim como outros alimentos também contêm tais ácidos (inclusive frutas e sucos).
A fabricante ressalta que a experiência de colocar um osso de galinha ou um dente em um copo de refrigerante não é uma situação real, e que os danos são causados porque tanto o osso quanto um dente, quando extraídos, são materiais mortos, sem defesa orgânica.
“Ainda que os refrigerantes sejam ácidos, sob condições normais eles não são mais ácidos que alguns sucos. Já os ossos não são nunca expostos diretamente aos alimentos e bebidas que ingerimos, não havendo relação entre enfraquecimento ósseo e consumo de refrigerantes”, a fabricante explica.

De acordo com o site WebMD, ainda não há uma palavra final no estudo da relação entre o consumo de refrigerantes (principalmente os de cola) e a incidência de osteoporose. Alguns especialistas acreditam que o ácido fosfórico realmente contribui para a fraqueza dos ossos, porém outros defendem que a quantidade dele em refrigerantes é mínima se comparada à quantidade encontrada em queijo ou frango, por exemplo.
Há ainda quem defenda que aqueles que bebem muito refrigerante acabam bebendo pouco leite ou outros líquidos ricos em cálcio, e é a falta deste último que ocasiona a fraqueza nos ossos. Enfim, nosso propósito aqui não é julgar, apenas mostrar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Categorias